CBN Goiânia
INDÚSTRIA | 15 de Novembro de 2019
Em busca de emprego, trabalhadores procuram em cursos do Senai capacitação para vagas ociosas
Foto: Divulgação Senai
BNV

Pesquisa aponta que mais de 300 mil goianos precisarão se qualificar para atender demanda da indústria

 

Por Aldenne Lopes

 

Há vagas! E para quem pensa em preenchê-las, é hora de se qualificar. Até 2023, a indústria goiana vai precisar de 322.953 trabalhadores capacitados para ocupar cargos de nível superior e técnico. Os dados são do Mapa do Trabalho Industrial, elaborado pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai). A necessidade do setor vai ao encontro de um número preocupante: o de desempregados. A última pesquisa do IBGE revelou que Goiás possui, atualmente, 397 mil pessoas sem trabalhar. Porém, para que a demanda por mão de obra e a oferta desta, que têm números semelhantes, se cruzem, a capacitação dos candidatos é fundamental.

De olho nestes postos de trabalho, estão os estudantes Lenier de Abreu, de 22 anos, e Guilherme Teodoro, de 19. Já em processo de conclusão da capacitação exigida pela indústria, os dois estudam na Faculdade de Tecnologia Senai Ítalo Bologna, no Setor Centro Oeste, em Goiânia. Lá, cursam o último período de Tecnologia em Automação Industrial, área diretamente ligada ao gerenciamento, à instalação, à manutenção e ao controle de sistemas automatizados nos processos industriais.

Para Lenier, foi como unir o útil ao agradável. Ele diz que sempre teve interesse em máquinas e acredita que tudo o que aprendeu nos últimos três anos de curso lhe deu uma boa base de conhecimento sobre as áreas ligadas à tecnologia. O jovem diz que quer estar empregado ao fim do curso e, com os ganhos, emendar outra formação técnica para seguir se capacitando. “Com essas evoluções tecnológicas e com a introdução da indústria 4.0, acho que o mercado procura por um profissional que acompanhe a evolução da indústria e que seja capaz de trabalhar com diversos equipamentos, eletrônicos e de automação”, opina ele.

O colega Guilherme acrescenta que as indústrias pedem cada vez mais do candidato. Ele diz que se sente capacitado, mas, assim como Lenier, pretende seguir se aperfeiçoando e já mira uma pós-graduação, também no Senai. “Quero continuar estudando. O filtro de seleção está cada vez mais rigoroso. Ter conhecimento em só uma função acaba que não ajuda muito”, avalia o estudante.

Gerente de educação profissional do Senai em Goiás, Weysller Matuzinhos, explica que o curso de Tecnologia em Automação Industrial é um dos mais promissores, com grandes chances de contratação após a conclusão. “A indústria, principalmente nos setores ligados a tecnologia, está em constante evolução e essas empresas procuram por mão de obra capaz de executar tarefas que estão de acordo com o que temos de mais moderno no mercado. Tendo esta formação, a chance de conseguir um emprego aumenta muito”, diz.

ÁREAS COM MAIOR EXIGÊNCIA TÉCNICA

O Mapa do Trabalho Industrial mostrou também que nos próximos quatro anos, as áreas que mais vão demandar a capacitação de profissionais com formação técnica em Goiás são: energia e telecomunicações (5.007 profissionais), metalomecânica (4.321 profissionais), eletroeletrônica (3.269 profissionais), logística e transporte (3.751 profissionais). Weysller Matuzinhos explica que todas essas formações são ofertadas pelo Senai.

De acordo com o gerente, o Senai busca estar alinhado às necessidades do mercado e ser a ponte entre candidatos e empresas. “Eles (estudantes) nos procuram porque querem se qualificar e os empresários nos procuram porque querem gente qualificada”, conta. “Qualificação muda carreiras e pode significar crescimento dentro das empresas, aumento de salário... Para o empresário, significa aumento de produtividade”.

Matuzinhos lembra ainda que pessoas de baixa renda também têm se formado no Senai. Por meio de cursos gratuitos ou incluídos em programas de bolsas de estudo do Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior (Fies) e da Organização das Voluntárias de Goiás (OVG), em unidades distribuídas pelo Estado.

“São mais de 450 cursos, muitos deles gratuitos. Como, por exemplo, as formações voltadas para o programa Jovem Aprendiz, para candidatos até 14 anos, e para pessoas com deficiência. Os cursos de ensino a distância também são, em sua grande maioria, gratuitos”, conclui Matuzinhos.

 

Para conferir a lista dos cursos presenciais gratuitos clique aqui 

Para conferir a lista dos cursos de EaD gratuitos clique aqui 

 

QUALIFICA-SE ELETRICISTA DE REDE

Para suprir a falta de mão de obra qualificada no estado, o Senai e a Enel Distribuição Goiás fizeram uma parceria e oferecem gratuitamente, um curso técnico para formação de eletricistas de rede, área com muitas vagas a serem preenchidas. Segundo Gustavo Curti, responsável em logística e serviços da Enel, a escassez deste profissional afeta todo o estado.

Para atender todas as cidades goianas, explica ele, oito centros de treinamento foram criados nos municípios de Goiânia, Aparecida de Goiânia, Anápolis, Jataí, Catalão, Itumbiara, Niquelândia e Pirenópolis. “É fundamental a qualificação para essa função, devido sua complexidade. Estamos fazendo um investimento de cerca de R$ 7 milhões para preparar estes profissionais não só para agora, mas também para o futuro, já que estamos em processo de expansão de rede”, diz.

O curso, que deve formar, em dezembro deste ano, cerca de 170 profissionais, tem carga horária de 360 horas e é destinado a pessoas de 18 a 40 anos com ensino fundamental completo. Para se inscrever, basta procurar uma unidade Senai em uma das cidades em que o curso é ofertado. O candidato deve apresentar RG, CPF, comprovante de endereço e comprovante de escolaridade.

 

Leia também

Publicidade
  • GOIANÃO
    aws
    gf
    DIA 22/01 - JONAS DUARTE
  • GOIANÃO
    DF
    s
    DIA 23/01 - SERRINHA
  • GOIANÃO
    AS
    A
    DIA 23/01 - JONAS DUARTE
Enquete

Você já adotou alguma estratégia para driblar a alta no preço da carne vermelha?

  • Compro cortes mais baratos
  • Reduzo o consumo
  • Consumo outras proteínas